fbpx
Australianos Criaram a Célula Solar Mais Eficiente de Sempre

Australianos Criaram a Célula Solar Mais Eficiente de Sempre

Australianos criaram a célula solar mais eficiente de sempre ao criarem uma célula que é capaz de atingir uma eficiência de 34.5% sem concentradores, que só por si bate um recorde mundial.

 

Passam os anos e cada vez vemos células solares mais eficientes na produção de energia e maior eficiência nos equipamentos que consomem energia, é possível prever um futuro onde a energia é abundante e a muito baixo custo.

Até agora o melhor que tinham alcançado era os 24% de eficiência com a criação de uma painel solar de perto de 1 metro quadrado. Mas estas novas células não são apenas mais eficientes, estas novas células são bem mais pequenas o que quer dizer que vão permitir criar painéis solares de mais baixo custo.

 

“Este resultado encorajador mostra que ainda existe espaço para avanços tecnológicos nos fotovoltaicos para criar células solares ainda mais eficientes.” Mark Keevers da Universidade de New South Wales em Sydney. “Extrair mais energia de cada raio de sol é critico para reduzir o custo da energia gerada pelas células solares, o que baixa o custo de investimento necessário, e permite ter o retorno do investimento num curto espaço de tempo.”

 

Esta equipa que criou agora estas células é a mesma que já tinha batido um recorde em 2014 ao usar espelhos para concentrar os raios de sol e atingir assim 40% de eficiência. Mas este novo recorde é ainda mais impressionante porque não envolve concentradores e era algo que os engenheiros não esperavam alcançar nas próximas décadas.

 

“Um estudo recente pela Alemã Agora Energiewende tinha definido o objetivo de alcançar 35% de eficiência até 2050 num modulo que não usasse concentração solar, tal como os comuns painéis solares que podemos encontrar um pouco por todo o lado.”

 

A nova célula tem apenas 28 centímetros quadrados e cria energia ao dividir raios de sol em quatro bandas.

A banda dos infravermelhos reflete de volta à célula de silicone e as restantes três bandas utilizam os raios de sol com as suas três camadas diferentes feitas de: Indium Gallium Phosphide, Indium Gallium Arsenide e Germanium.

Os raios de sol atravessam cada uma destas camadas. junções e a sua energia é extraída por cada uma destas na frequência mais eficiente de cada uma das camadas e toda a luz que não é aproveitada passa facilmente à camada seguinte.

 

Fechar Menu